Busca

Categoria

leitura

Garota Exemplar

Fala galera, beleza?

Há algumas semanas atrás, eu recebi um email me questionando o motivo pelo qual eu não gostei do livro Garota Exemplar de Gillian Flynn. Irei deixar o nome da pessoa de fora, porque o próprio me pediu que fosse feito assim. Então, vamos lá!

Eu não me recordo quando foi que comentei sobre este livro aqui no blog, no entanto acredito que tenha sido em alguma tag. A verdade é bem simples, eu detestei esse livro, e nesse texto vou expor minhas opiniões, lembrando que é só a MINHA opinião. Até porque ninguém é obrigado a gostar das mesmas coisas. Enfim… Primeiramente preciso dizer que no inicio da leitura achei a escrita de Flynn interessante e detalhada, só que esse pensamento não durou muito tempo. Ao desenrolar da narrativa a história começou a se tornar desestimulante e tediosa e os elogios que os críticos teceram pareciam não fazer sentido.

Desta forma, enquanto todos diziam que o final era surpreendente, que a narrativa era sedutora e os personagens interessantes, eu estava prestes a me desfazer do livro na primeira oportunidade. No entanto me segurei e me mantive firme na leitura. É claro que não posso me negar que os personagens eram realmente bem detalhados e com uma personalidade rica, no entanto cada página que os conhecia melhor uma raiva dentro de mim era nutrida contra eles. Ao ponto de que em minha opinião o desfecho ideal para eles seria no estilo de tortura de Cães de Aluguel do tio Tarantino e se você já assistiu a este filme sabe muito bem do que estou falando (quem sabe do que estou falando deixa lá nos comentários!). No entanto para a minha tristeza o final não supriu minhas expectativas só me deu vontade de lançar o livro longe.

Assim quando todos me diziam que eu não iria conseguir adivinhar o que estava acontecendo, que era um mistério indecifrável. Eu já tinha entendido tudo estava me perguntando, cadê o mistério? Simplesmente não havia. Em nenhuma das páginas eu encontrava o tão enredo misterioso e sedutor que falavam. Muitas pessoas gritaram no meu ouvido, você não entendeu o sentido real do livro, é um critica sobre o casamento e seus perigos… E a única coisa que posso dizer é que a autora fez um bom trabalho, não estou negando a importância e a influencia deste livro, no entanto ele simplesmente não combinou comigo.

E só para fechar esta conversa e encerrar o assunto, na minha humilde opinião David Fincher fez mágica na hora de adaptar o livro para as telas, mostrando que ele é o cara na hora de dirigir um bom filme e fazendo um ótimo trabalho assim como fez em Clube da Luta, A Rede Social, Se7en e Millennium. David Fincher mora no meu coração.

Então gente, por hoje é só. Me contem nos comentários o que vocês acham do livro e do filme, mesmo que sejam opiniões que discordam da minha eu gosto de saber, então me falem! Estou curiosa… Não se esqueçam de dar aquela curtida no fim da página e nos vemos no próximo post.

Beijos e boa leitura!

Anúncios

O Apanhador No Campo de Centeio

Fala gente bonita, vocês já ouviram falar do Apanhador No Campo de Centeio? Sim? Não? Talvez? Então, hoje nós vamos conversar sobre Holden o personagem principal e também narrador da história. Então vamos lá!

Primeiramente preciso falar que minha motivação para iniciar a leitura foi porque sempre ouvi muitos comentários negativos pelo fato de alguns assassinos famosos terem tido esse livro como o preferido. Inclusive o assassino de John Lennon quando foi preso estava lendo esse livro. Então a curiosidade bateu e algo chamado promoção também, então resolvi arriscar e ler para descobrir o que levava assassinos a lerem e amarem a história. E vocês não vão acreditar o que eu descobri. Eu descobri… Nada! Isso mesmo, não tem nada que fosse capaz de levar alguém a matar, o livro até tem algumas frases reflexivas e motivadoras e talvez uma pessoa que já tenha uma propensão a se tornar um assassino poderia sentir algum efeito, no entanto realmente não tem nada demais.

Enfim, apesar de não ter nada que tenha me chocado, eu achei que essa foi uma das leituras mais incríveis e fáceis de ler. Já que J. D. Salinger tem uma escrita simples e cativante que te induz a ler de uma forma que quando o livro termina você pensa: “ué, já acabou?”.

Não é à toa que este Romance se tornou um dos mais famosos e vendidos da história. Acredito que facilmente as gerações dos anos 50, 60 e 70 tenham se identificados com o personagem, já que Holden Caulfied parece real. Em diversos momentos do livro tive a sensação de que Holden fosse real e talvez até um amigo ou conhecido de alguém. Já que ele apresentava características em comum com jovens de diversas gerações.

Individualista, rebelde e contestador, vive em busca de prazer sem sentir culpa, tem sempre uma opinião para dar sobre as pessoas a sua volta; essa é uma parte de Holden, uma parte que qualquer um pode se identificar. No entanto ele ainda apresenta uma complexidade muito maior e para ser sincera eu nunca vi um personagem tão elaborado e rico de detalhes (apenas nos filmes do Tarantino vi personagens tão complexos). O outro lado de Holden é mais sombrio, mostra um jovem depressivo, entediado, com pensamentos suicidas e às vezes violentos.

Esse lado obscuro pode ser explicado por uma história um pouco conturbada. Acontece que Holden perdeu seu irmão mais novo que morreu de leucemia e ele ainda lida com um complexo de inferioridade quando se compara com seus irmãos, que pela as palavras dele, são talentosos e inteligentes. A cada página nos deparamos com um personagem tão intenso e solitário que chega a marcar quem está lendo. Os únicos momentos que Holden não aparece de forma depressiva é quando ele fala de sua irmã mais nova Phoebe, que é o pingo de humanidade e paz que resta nele.

 Não existe nada no mundo que o agrade e tudo o irrita. Holden não vê sentido no cinema ou nas pessoas e acho que é aí que entra o título do livro. Em algum momento da história ele diz que quer ser O Apanhador do Campo Centeio e para mim isso significa que deseja dar um sentido para vida fazer algo de importância. Holden queria ser mais do que uma simples pessoa ou estudante. Ele queria ser diferente e queria um mundo diferente.

E vamos falar a verdade todos nós queremos um pouco isso. Queremos dar um sentido para as nossas, queremos mudar algo no mundo e dentro das pessoas.  Todos nós talvez tenhamos um pouco do Holden Caulfied. Só que quando descobrimos que causar essa mudança é difícil e às vezes parece até impossível, desistimos e acabamos ficando deprimidos como Holden. Só quem tem algo que foi dito no livro que eu gostei muito, ele diz assim:

“[…] os homens instruídos e cultos, se de fato tiverem brilho e capacidade criadora […] tendem a deixar registros infinitamente mais valiosos do que aqueles que apenas têm brilho e capacidade criadora. Tendem a se expressar com mais clareza e, geralmente, têm a paixão de desenvolver seu pensamento até o fim.”

(p. 225)

Então se você tem um sonho ou uma ideia para mudar o mundo, faça a sua parte, corra atrás, lute e estude. Pois eu realmente acredito que todos nós somos capazes de transformar e alcançar o que desejamos, basta termos conhecimento para isso. Não desista você é capaz, e mesmo que você esteja cansado de tudo que vemos na TV, ruas e internet, não desista! Tenha esperança até o fim.

Desculpem pelo texto um pouco longo, é que esse livro mexeu comigo. Me digam o que acharam nos comentários e se gostaram deixem sua curtida e se tiverem tempo leiam esse livro.

Beijos tenha uma boa leitura e sorria até nos momentos difíceis!

 

PRÊMIO DARDOS

Fala aí galera, tudo tranquilo?

Fico feliz em contar para vocês que fui indicada para o Prêmio Dardos pelo blog Ler é Um Vício. O fato de ter sido escolhida para tal ocasião é muito importante, pois serve como um incentivo e estimulo na propagação de nosso trabalho. Eu sou iniciante por aqui e fiquei muito surpresa ao ver meu nome sendo indicado entre outros blogs que eu gosto muito. Agradeço por ter pensado em mim e prometo me dedicar ainda mais para continuar a fazer um bom trabalho!

Para quem não sabe o Prêmio Dardos é um selo virtual criado em 2008 pelo escritor Alberto Zambade, autor do blog Leyendas de “El pequeño Dardos” El Sentido de Las Palabras. Ele selecionou e indicou o selo para 15 blogs e estes blogs indicaram outros 15. Assim se criou uma grande corrente na internet. O objetivo do Prêmio Dardos é reconhecer os esforços dos blogueiros, a cada dia, para transmitir princípios culturais, éticos, literários, pessoais etc., manifestando a criatividade através de seus pensamentos presentes em suas palavras e textos.

Regras do Prêmio Dardos:

  • Indicar os 15 blogs que preencham os requisitos acima para receber o prêmio;
  • Exibir a imagem do selo;
  • Mencionar o blog de que recebeu a indicação e pôr o link dele;
  • Avisar aos blogs escolhidos.

A partir de tudo que eu li selecionei alguns blogs que são muito especiais e que de alguma forma também vieram a me inspirar!

  1. 1001 livros brasileiros para ler antes de morrer
  2. Caderno da Su
  3. Estesia
  4. Arte embrulhada
  5. Sendo honesto
  6. Eu, nós dois e todo mundo
  7. Pedro Augusto
  8. Alice na lua
  9. A Quimera
  10. Upendista
  11. Livreiro da esquina
  12. Tudo e todas as coisas
  13. O EU INSÓLITO
  14. SATÃNATÓRIO
  15. Amar, verbo intransitivo

Se vocês tiverem tempo acessem esses blogs que indiquei e conheçam essas pessoas maravilhosas que fazem um ótimo trabalho! Vamos nos incentivar e construir um mundo virtual melhor que propague cultura e bons pensamentos.

Obrigada e vamos continuar firme, pois acesso a informação é liberdade.

Então vamos fazer a nossa parte e disponibilizar informação para todos aqueles que desejam!

Beijos e boa leitura ;*

Literatura Infantojuvenil

Hey people,

Vamos falar sobre a literatura infantojuvenil?

Para você o que significa ler? Muitas vezes atribuímos o hábito da leitura ao contato com livros, texto e artigos, mas ler ultrapassa esses limites nós lemos as expressões das pessoas, lemos imagens e lemos o mundo. Em todo momento estamos lendo e interpretando o que está em nossa volta. Então surge a grande questão que é debatida entre professores e que hoje trago para que vocês reflitam.

Qual é a idade certa para introduzir a criança no mundo da literatura?

Bem a verdade é que a resposta para esta pergunta pode ser simples e complexa ao mesmo tempo. Então vamos pensar juntos?

Normalmente acabamos atribuindo o hábito de ler àqueles que já foram alfabetizados, porém isso é um engano, pois muitas pessoas não sabem que desde a barriga o bebê pode ser estimulado através da contação de histórias. Isso acontece porque lá no útero a criança já é capaz de escutar sons externos e então esses estímulos acabam contribuindo para o seu desenvolvimento. Desta forma a introdução ao mundo literário deve acontecer antes mesmo da criança nascer, devendo continuar durante toda a infância através de ambientes ricos e com contato de livros lúdicos.

Assumindo que a importância de que leitura deve ser estimulada já na primeira infância, surge então a literatura infantojuvenil, que é um ramo da literatura dedicado especialmente às crianças e jovens adolescentes. Nela, se incluem histórias fictícias, biografia, novelas, poema, obras folclóricas e culturais.

Dentro deste ramo literário brasileiro nós temos grandes nomes que com certeza você já leu ou já ouviu falar como: Ziraldo, Mauricio de Souza, Ruth Rocha, Monteiro Lobato, Ana Maria Machado, entre outros. Esses autores são os grandes responsáveis por incentivar o gosto pela leitura nos pequenos e até mesmo nos adultos (eu me incluo nessa), eles conquistam o leitor de forma lúdica para falar de coisa séria. Não poderia ser melhor né?

A literatura infantojuvenil é muito importante para a formação dos pequenos, contribui para o desenvolvimento da criatividade, trabalha questões sociais, enriquece o vocabulário e dá autonomia intelectual para a criançada. Então quando tiver tempo leia para o seu filho, irmão ou sobrinho, simplesmente leia para uma criança e ajude a construir um mundo com mais leitores, pois nos livros nós achamos informação e na informação achamos a liberdade. O mundo com que sonhamos começa a ser traçado com cada criança que nasce e se cada criança tiver em sua mão um livro poderemos viver em um mundo melhor. O que você acha sobre isso?

O autor que marcou a minha infância foi o Ziraldo. Agora me fala qual foi o autor ou a história que marcou a sua infância?  Me conta lá nos comentários, estou louca para saber.

Obs.: Nas sextas-feiras tentarei apresentar a vocês alguns livros da literatura infantojuvenil e trazer algumas discussões sobre o assunto, meu objetivo é demonstrar a importância da leitura e da contação de história para o desenvolvimento cognitivo e emocional dos pequenos. Então estarei esperando sua presença, ok?

Se você tem alguma dica de leitura mande para o meu e-mail: alana.s.cruz@hotmail.com, estarei esperando. Aproveita e passa lá no meu Instagram: @alana.s.cruz e fique de olho nas novidades.

Beijos tenham uma ótima leitura ;*

Blog no WordPress.com.

Acima ↑